As Super Canções do Epica

by - 20:12:00

Agora vamos analisar cada uma das canções, mas antes preciso deixar claro algumas questões, antes que alguém me apedreje:

Primeiro: esta é a MINHA opinião sobre as canções, o que eu sinto em relação a elas, o que gosto em cada uma, quais eu mais gosto, enfim.... Não estou falando que são horríveis ou que o Epica é horrível, pelo contrário amo o Epica, é minha banda favorita! 
Segundo: isso não é uma analisa crítica, até por que não sou especialista em música, aqui é apenas uma visão de um fã em relação as canções. 

Aqui vamos tratar as canções com mais de 8 minutos e em ordem cronológica, e não de duração. Vou usar termos como “tranquilo” para me dirigir a partes da canção que são mais calmas e suaves, e “agressivos” para parte que são mais pesadas e aceleradas. E constantes para partes quem o ritmo se mantêm o mesmo. Não sei se vocês entendem o que quero dizer!

Façade Of Reality (The Embrace That Smothers - Part V) 8:14
Pode-se dizer que, esta foi a minha paixão à primeira vista. Esta foi a primeira canção que eu ouvir o Epica, como já disse aqui no blog em outras postagens. Mas hoje em dia, confesso que a deixei um pouco de lado. Ouvindo ela agora para fazer este post, bateu uma saudade. O que aconteceu com elas, é tipo quando a gente come muito uma coisa por muito tempos, e chega uma hora que você enjoa e não quer mais! Foi isso que aconteceu com ela e com “Cry For The Moon”. Ela começar bem intensa e pesada, com um coral bem engenhoso em latim. Essa canção é bem fácil de decorar, pois há muitos refrãos parecidos e cheios de rimas que dão equilíbrio a canção. A parte que eu mais gosto é a que tem o speech em 03:00 até 05:09. É quando a canção se “torna tranquila”, para depois ficar “agressiva” novamente, algo que acontece muito nessas canções longas, e o que é mais legal delas.
The Phantom Agony 9:00
Desde que conheço esta canção, ela nunca caiu muito nas minhas graças. Eu até gostei um pouco da (party version) que o Epica costuma executar nos shows, mesmo assim nem tanto. Ouso dizer, que prefiro mais “Seif Al Din”, mas esta não se caixa em nossos quesitos para este post. The Phantom Agony começar com um ar de mistério e sussurro de Simone, que antigamente me davam arrepios, realmente uma coisa fantasmagórica.... (risos). Sinceramente eu não sei lhe dizer por que não gosto muito dela, talvez seja por que eu acho que ela não tem nada de especial... realmente não sei... talvez...bem, acho que eu não gosto muito de como ela termina, fica apenas o orquestral por um logo tempo até acabar, acho enjoativo. No entanto a parte que mais gosto, fica próxima ao final, em 05:35 até 06:05.
Consign To Oblivion (A New Age Dawns - Part III) 9:45
Também nunca fui muito fã de Consign To Oblivion, desde a primeira vez que há escutei. Eu sinto a mesma coisa que sinto com The Phantom Agony, as duas estão sempre fora da minha playlist! Eu acho que ela tem um ritmo mais lento, não é tão cadenciado, não varia entre o “tranquilo” e “agressivo”. Ela começa com um ar de suspense, e se mantem um mesmo ritmo por muito tempo, até mesmo nas partes dos guturais do Mark, acelerando só um pouco no final. Minha parte favorita é em 06:52 até 07:56.

Fools Of Damnation (The Embrace That Smothers - Part IX) 8:39
Ah, esta sim é um tipo de música que eu gosto das grandes. Eu não sei dizer se ela é minha primeira ou segunda favorita, mais posso dizer que ela empata com Kingdom Of Heaven. Ela é acelerada, pesada além de ter uns sons árabes, tudo que o que adoro nas canções do Epica. É aquela música alucinantes que você quase quebra o pescoço de tanto bater cabeça! Na verdade, ela não tem tanto o “tranquilo/agressivo”, ela é de certa forma constante. Minha parte favorita é em 4:25 até 07:10, mais para falar a verdade, amo a música inteira, é uma obra prima!

The Divine Conspiracy 13:57
Eu sei que você vai pensar que eu nunca gosto das faixas-título, que de certo modo são importantes, mas calma! The Divine Conspiracy também é como suas amigas Consign To Oblivion e The Phantom Agony. Mas se fosse para escolher a minha favorita entre as três, diria que é esta. Ela começa como uma marcha triunfante, e tem aquele equilíbrio “tranquilo/agressivo” que eu gosto, além um refrão legal e pegajoso. Mas aquele seu final moroso, igual ao de The Phantom Agony, acho que não me agradou muito. Eu adoro a parte triunfante em 07:48 até 10:43.


Kingdom Of Heaven (A New Age Dawns - Part V) 13:35
Outra obra prima, não tenho palavras para falar sobre esta canção (mentira, tenho sim vamos fala aqui (Risos)). É simplesmente perfeita, ouso dizer que é melhor canção que o Epica já fez em todo sua carreira! (Na minha humildíssima opinião). Ela tem um perfeito equilíbrio entre o “tranquilo e agressivo”, corais magníficos, a canção realmente expressa que é dito na letra. Ah, eu adoro o contexto da canção, fala sobre vida a após a morte, sendo a base principal o livro Tibetano Dos Mortos. Nem preciso dizer que gosto de todos, mais minha parte de destaque aqui é em 9:35 até 12:30.

Design Your Universe (A New Age Dawns - Part VI) 9:29
Eu não sei por que Design Your Universe não é meu álbum favorito, (meu favorito é The Divine Conspiracy). Ele tem uma sonoridade que amo, é agressivo, pesado e rápido, em quase todas as suas faixas. E se há um empate técnico entre Fools Of Damnation e Kingdom Of Heaven, posso dizer que Design Your Universe é minha segunda favorita! (Tá vendo, apareceu uma faixa-título que gosto). Ela é parecida com Fools Of Damnation, só que uma pouco menos pesada. Eu gosto dela por causa do violão, que é bem evidente em quase toda a canção. Ele me lembra canções espanholas. Eu também gosto da mensagem que letra da canção passa, e que acho ter muito haver com os tempos atuais. Ela fala que a humanidade precisa mudar algumas de suas atitudes, tipo quando Mark diz na estrofe: “So many people are full of hate, While love and light are in their reach”. Como eu disse gosto particularmente do início da canção, com aquele toque espanhol em 00:00 até 01:41.

Requiem For The Indifferent 8:34
Houve um tempo, em que eu adorava muito essa canção, mais não sei por que isso foi diminuindo. Igual aconteceu com Façade Of Reality, só que um pouco pior. Ela não varia entre o “tranquilo/agressivo”, sem mantém num mesmo ritmo o tempo todo. Na verdade, eu acho o álbum Requiem For The Indifferent o mesmo pesado de todos, ele é um pouco moroso, a única faixa que fogem um pouco é Serenade Of Self Destruction e Deter The Tyrant. Minha parte favorita vai de 06:52 até 08:02.

Serenade Of Self Destruction 9:52
Esta música tem uma estrutura sonora parecida com Design Your Universe, porém um pouco mais pesada do que está. Eu adoro o começo com o piano e Simone cantando ao fundo, e também potência da bateria em toda a canção. Esta canção também tem uma sonoridade mais sombria, obscura... Ah, e também gosto dos sonoridada arábica ou japonesa, não sei dizer ao certo, por que canção fala sobre o sacrifício dos samurais. Minha parte favorita vai de 05:05 até 08:25, especialmente a parte do coral.
The Quantum Enigma (Kingdom Of Heaven - Part II) 11:53
Houve muita expectativa em torno desta canção, (principalmente minha), devido ao seu título conter: “Kingdom Of Heaven - Part II”. Eu realmente esperava algo como em Kingdom Of Heaven, mas na minha opnião, não tivemos aquela grandiosidade que tivemos em KOH. Eu realmente esperava mais! O início é interessante, até a parte em que Simone começar a cantar. Eu achei essa parte um pouco morna, sem graça, não se por que. Eu sinto que ela soa como uma canção “comum”. Quando disso isso, quero dizer que ela não parece uma das “Super Canções”. Mais nem tudo são “dores”... eu gosto do refrão e da sonoridade dos teclados de Coen por toda a canção. Meu trecho favorito desta vai de 06:32 até 07:17.

The Holographic Principle (A Profound Understanding of Reality) 11:38
Esta é a filha mais nova do Epica, que sinceramente me decepcionou bastante. Igual anterior, esperava “algo mais”. Logo o começo dela já não me agrada, o coral e o piano melancólico... E assim como a anterior, eu também sinto que ela soa como uma canção “comum”, talvez por que ela soa muito constante, sem aquela candência entre tranquilo e agressivo. Minha parte favorita fica entre 08:17 até 08:55.

E a minha ordem do top das Super Canções do Epica ficam assim:

1. Fools Of Damnation (The Embrace That Smothers - Part IX) 8:39
        Kingdom Of Heaven (A New Age Dawns - Part V) 13:35
2. Design Your Universe (A New Age Dawns - Part VI) 9:29
3. Serenade Of Self Destruction 9:52
4. Façade Of Reality (The Embrace That Smothers - Part V) 8:14
5. The Quantum Enigma (Kingdom Of Heaven - Part II) 11:53
6. The Divine Conspiracy 13:57
7. Requiem For The Indifferent 8:34
8. The Phantom Agony 9:00
9. Consign To Oblivion (A New Age Dawns - Part III) 9:45
10. The Holographic Principle (A Profound Understanding of Reality) 11:38

E então, qual é a sua favorita, não deixe de me contar no comentários! abraços!

Você vai gostar também:

0 comentários

Instagram