What I Watched: Power Ranger RPM
em 13 de fevereiro de 2018

Já fazia algum tempo que eu não assistia Power Ranger, a última temporada que eu assistir e parei quase no final, foi Operação Ultraveloz. Desta vez a temporada foi RPM, eu posso dizer que desde de SPD, não assistia uma temporada tão boa. É uma das poucas temporadas com um conteúdo mais maduro. Eu aprendi a gostar de Power Rangers graças a Time Force, que também tem o mesmo estilo. Enquanto outras temporada realmente não descem, como por exemplo Mystic Force e atualmente Samurai. Não sei dizer ao certo o que é, mas é como se ele tivesse um toque bobo demais.

A temporada tem uma história bem interessante, um vírus de computador chamado Venjix, toma controle dos sistemas eletrônicos, e tenta dominar o planeta, obrigando as pessoas a fugirem para o único lugar seguro, a cidade protegida de Corinto. Lá apenas os Power Rangers podem proteger a cidade contra a ameaça Venjix. O diferencial da temporada é que o foco da história não é o Ranger vermelho, mas sim o bad boy e meu favorito Dillon, que é o Ranger Preto. Mas nem por isso, o Ranger Vermelho perde o seu brilho como líder da equipe. 

Cada Ranger tem uma história relacionada com ataque Venjix, e como este fez com que eles mudassem o modo como vivem suas vidas. Um bom exemplo é a Ranger Amarela, que era mesquinha e rica, e depois do ataque passou a se importar mais com as outras pessoas e não só consigo mesma. Já o Ranger Azul, sempre teve o espírito de herói, mais nunca conseguia ajudar as pessoas da maneira correta. O Ranger Verde foi realmente surpreendente! Eu pensei que Ziggy seria uma droga de Ranger, mais com seu jeito extrovertido e muitas vezes desastroso, ele conseguem desempenhar seu papel como Ranger muito bem! E não menos importante, temos quem lidera essa turma, a icônica doutora K, que tem uma história especial com devastação do planeta pelo vírus Venjix. 

Uma coisa que destacou nesta temporada foram os efeito especiais e as lutas. Os golpes são bem sincronizados, rápidos e efetivos, quase perfeito, como se todo os atores fossem especialistas em artes marciais. A história é bem coesa e séria trazendo como foco, como disse antes o Ranger preto, e a sua busca para descobrir quem é o que aconteceu com sua família. Bem por fim, eu adoro todos os personagens, cada tem seu estilo e história que vão cativar você... e eu não sei como concluir como sempre, mas ao menos agora eu admito isso! Até mais!