8 de setembro de 2017

What I Watched: Cowboy Bepop & One Punch Man

Já faz um tempo que eu não post um “What I Watch” né? Eu fiquei um pouco desleixada, e também não tive tempo, pois como tenho assistido mais animes de 2 cour, ele terminam mais rápido e ao mesmo tempo, e escrever sobre vários, tornou-se uma tarefa difícil. Com isso, eu deixei passar algumas relíquias como: Street Fighter, Nana e Little Witch Academia. Mas cá estou eu a falar de dois notáveis animes, One Punch Man e o clássico Cowboy Bepop. Na verdade este post seria apenas de One Punch Man , que por sinal já assisti duas vezes seguidas, e estou querendo assistir mais uma! No entanto, como eu decidi dar uma acelerada em Cowboy Bepop, os dois acabaram juntos, e foi quando eu percebi o equívoco que cometi, já era tarde.
One Punch Man é um anime que estava morando na minha mente já faz algum tempo, principalmente porque todo mundo sempre comentar sobre ele. Não sei ao certo porque não assisti antes, talvez por ser um anime atual, e eu não estar botando muita fé em animes da atualidade, isso porque sou das antigas! Mas com o seu anúncio no catálogo da Netflix foi suficiente para dar uma espiada. Logo de cara, no primeiro episódio, já fiquei fascinada com o anime.Ele tem todos os elemento que eu adoro num anime shonen: ação, comédia, lutas. Tudo isso misturado é One Punch Man. A primeira vista, OPM, me lembra muito Yu Yu Hakusho, com sua dublagem cômica e cheia de gírias, com certeza você perceber isso. No começo você pode achar que a história, é como todas as outras, que contam a história de um super heróis, só que não. Aqui vemos Saitama, inicialmente como um herói não oficial, que derrota seus inimigos com apenas um soco! E em paralelo ele leva uma vida normal como qualquer um de nós, cozinhando, indo às compras….e essa é a grande sacada do anime!
Já com Cowboy Bepop, a coisa começou um pouco estranha. Eu estava no episódio 3 e não sabia se quer o que era aquilo. Eu demorei um pouco para me engajar na vibe do anime, por ele ser apresentado de forma episódica. Um episódio não tem nada haver com o outro, cada episódio é uma nova história, nova aventura, novos personagens, isso faz com que você se sinta perdido, talvez por não ser um formato muito comum em animes. No anime, acompanhamos as aventuras do caçadores de recompensas, Spike, Jet, Faye, Ed e Ein, que coincidentemente se encontram e acabam viajando juntos pelo espaço. O anime tem sua trama baseada na cultura americana, principalmente nos movimentos do jazz da década de 1940; e com o nome dos personagens sempre tipicamente americanos, e nunca japoneses. Outro diferencial são episódios, alguns deles têm seus nome inspirados em estilo musicais ou até mesmo música. Eu só comecei a gostar mesmo no anime a partir do episódio 7 que se chama “A Rainha do Heavy Metal”, porque será né?


Through Lucy Eyes

Template por Butlariz Modificado por Lusy Oliveira