24 de junho de 2017

Unboxing: Prison Of Desire (Deluxe Edition) + The Phantom Agony


Dias atrás chegaram a minha recompensa por ter completado o nível 1 do desafio 30 dias de Mudanças, lá do meu Bullet Journal. Para recompensa da vez, escolhi dois álbuns que para mim são como duas raridades, além de serem quase que irmãos gêmeos apesar de serem de bandas diferente (logo eu explico).
Eles não são meus favoritos, mas são extremamente importantes! Até porque eu tracei uma meta de obter todos os álbuns das bandas que gosto, o que vai levar tempo (e principalmente dinheiro), mas quero ter todos bonitinhos na minha coleção! Eu não vou fazer um review de cada um, por que vai fica muito longo, vamos mencionar apenas as partes importantes de cada um! OK?
Primeiro, mas não menos importante “The Phantom Agony” é o álbum que está em último lugar na minha escala de favoritos do Epica! Não entendam mal, eu não o odeio, só prefeito os mais recentes ao mais antigos.“The Phantom Agony” é o pontapé inicial do Epica, depois que Mark Jansen deixou o After Forever, e é essa fato que faz o dois álbuns serem irmão gêmeos, como mencionei acima. Se você procurar na internet, vai perceber que a capa traseira de ambos o álbuns são muito parecidas, além de um inciar o conceito “The Embrace That Smother”, e outro continuar o conceito, que só é finalizado no álbum ‘The Divine Conspiracy”. “The Phantom Agony” tem muitas música que hoje são consideradas clássicos, e por sinal uma delas já não aguento mais ouvir, “Cry For The Moon”. Sério, eu literalmente enjoei desta música, ela está em todos lugares, nunca sai do setlist junto com Consign To Oblivion. Eu já até arranquei ela da minha playlist! Outra que está sempre por aí, mas de vez em quando ainda dá uma sumida e “Sensorium”. Mas é neste álbum que também está a primeira canção que ouvi do Epica, “Façade Of Reality”, é uma grande canção com uma história triste. Ela fala sobre os atentados de 11 de setembro. “Run Far A Fall” era uma canção que eu antigamente tinha um certo desprezo, mas que ultimamente ela tem aparecido mais na minha playlist.

Agora vamos falar da estrela da vez, “Prison Of Desire”, esse sim um álbum importantíssimo, até porque o After Forever partiu desta para melhor a muito tempo, e nos deixou com muitas saudades. After Forever era uma banda muito importante para mim, pois ao lado do Nightwish e seu excelentíssimo álbum “Once”, me introduziram ao estilo do metal que mais admiro hoje em dia, sim nosso querido Symphonic Metal. Mas não foi o “Prison Of Desire” o começo de tudo para mim, quem estava lá para me puxar para o lado negro da força junto com o “Once” era o meu favorito da banda o “Decipher”. “Prison Of Desire” veio logo depois em CD emprestado que estava tão arranhado que não me deixava escutar direito a música de introdução “Mea Culpa”. Lembro-me que a música começava bem, até começar a chiar e pular para “Leaden Legacy”. Eu também adorava o vocal diferenciado de “Semblance Of Confusion”, escutei tanto que até enjoei com o tempo. “Black Tomb” “Follow In The Cry” com “aquela coisa egípcia”, também eram as minhas favoritas. E não posso esquecer do simples dueto de Sharon com Floor em “Beyond Me”, por sinal, outra música que estava com problemas, o disco sempre pulava na parte dos guturais do Sander, que ficavam ainda mais guturais!!
E você, quais são suas favoritas do “Prison Of Desire” e “The Phantom Agony”? Deixe-me saber nos comentários!!!


Through Lucy Eyes

Template por Butlariz Modificado por Lusy Oliveira