1 de junho de 2014

My Review: The Quantum Enigma

Depois de uma semana ouvindo “The Quantum Enigma” em loop quase que infinito, agora posso lhes dizer o que acho sobre esse álbum. O Epica sempre evolui muito a cada álbum, sempre há algo novo sem deixar de lado o tradicional. Eu sempre tenho um choque quando ouço pela primeira, devido a algumas mudanças na sonoridade enfim, mais aos poucos vou me acostumando. Mais devo dizer que demorei mais digerir o antecessor “Requeim For The Indifferent” do que o “The Quantum Enigma”. Por outro lado, “The Quantum Enigma” me fez gostar um pouco mais do “Requeim For The Indifferent”, mais não tirou o lugar de favorito do “The Divine Conspiracy”. Então vamos lá, vou falar de cada uma das canções.
Originem tem uma entrada repentina que sempre me dá susto, não é melhor que “Indigo”, minha favorita e melhor de todas as entradas que o Epica já fez. O coral vai muito bem, mais não gostei da sonoridade dela em geral.

Como é de costume a segunda música sempre se encaixa perfeitamente com música de introdução. Eu gostei do inicio, com o teclado do Coen dando a partida e a bateria devastadora de Arien, abrindo caminho para o coral. O refrão soa meio desanimador pra mim, não é tão empolgante como em “Resgin To Surrender” e “Monopoloy On Truth”. A uma parte do coral no meio da música, após os guturais de Mark, que soam iguais aos de “Kingdom Of Heaven”.


Foi a primeira música que conhecemos de “The Quantum Enigma”, foi lançada como single e deu pra sentir o gostinho do que estava por vir até o lançamento. O começo com sons orientais lhe pera para a bateria de Arien, que vem como uma bomba. Eu gosto dele com um todo, tem letra fácil de cantar, principalmente o refrão que é pegajoso mais não enjoativo. A presença do coral é bem forte e perfeita, e o jogo de vocais formado Simone e Mark fica bem legal.

A primeira música pesada entra em cena e não deixa desejar! É uma pena ela não ser mais longa. O que chama a atenção nela são os vocais de Mark contracenando com o coral. O refrão também é bem fácil de cantar, e como é de se esperar do Epica, essa música passa uma mensagem, e fala sobre aquelas pessoas que culpa a todos e a tudo por seus desastres em vida.

Foi difícil gostar dela de cara, pois não fui com a cara do refrão lento. Mais acabei me apaixonando por ela, é uma ótima canção e a segunda mais longa e ainda conta com uma pequena participação de Arien, dizendo a frase: “"The longer you wait for the future the shorter it will be". Ela fala de como encaramos a morte, nascimento e morte. Penso eu que ela originou a arte ao lado, e eu espero que ela venha junto com o encarte do CD!!

“Unchain Utopia” foi o segundo single do “TQE”. Ela é iniciada pelo coral pronunciando o refrão de musica, seguida de uma melodia nostálgica dos teclados de Coen, acompanhado pelos outros instrumentos que mantem quase o mesmo ritmo durante toda a música dando uma pausa ao meio da canção, para a serena voz de Simone.

Eis que chegamos ao interlúdio, por sinal, o melhor interlúdio de todos. Repleto de sons orientais e uma atmosfera de reflexão.


Assim que terminal “The Fifth Guardian”, entra, “Chemical Insomnia”. Sinto uma levada Pop nela, principalmente quando Simone começa a cantar, acho que por isso custei a gostar dela. Mas o destaque pra mim foi o coral e tom de suspeito dos sussurros de Simone. Só não gostei do refrão.

“Reverence” é outra que soa um pouco Pop pra mim. Eu gostei muito dos vocais da Simone nessa música, destaque para os agudos. Receio dizer que não gostei do solo do Coen, quem vem logo após o solo de guitarra do Issack, mais os dois se completam. Eu particularmente não gosto muito desses sons sintetizados de teclado.

Essa música te engana quando você ouve pela primeira vez! Você acha que esta preste a ouvir uma da baladas do Epica, mais é surpreendido quando a bateria entra junto com os outros instrumentos. Também gostei dos vocais de Simone nessa música.  O refrão é um daqueles fáceis de aprender e que tem põe pra cima. A parte que mais gosto é o intervalo que tem ao meio, seguido dos vocais de Mark, que apesar de “agressivos”, senti uma serenidade neles.


Agora sim! Chegamos enfim na balada do álbum. Ela se iniciando com o tranquilo piano de Coen, que logo recebe um apoio de Issack com seu violão. A voz de Simone é tranquila durante a música, até que chega ao refrão onde fica mais intensa. Não supera a maior balada do Epica (na minha opinião), “Tides Of Time”.

Ela começa com alucinante teclado de Coen, que dá um sinal de que estamos chegando ao fim. Falando em fim, ela parece música de fim dos tempos. Aliás, o que eu mais gostei, foi a letras. Ela retrata bem como estão os dias de hoje, numa sociedade cheia de ganância e morte, onde ninguém se importa com o próximo. O refrão resume muito bem isso tudo. O destaque vai para as partes do coral, onde as rimas se encaixam perfeitamente.

Então chegamos a música mais esperado do CD, mais conhecida como “Kingdom Of Heaven – Part II”.  Talvez alguns vão me odiar, mais eu esperava mais desta música, imaginava tão bombástica com a do “Design Your Universe”. Ela começa muito bem, lembra uma pouco do começo da KOH Parte 1, e vai bem até a parte em que Simone começa a cantar. Não que ele cante mal ou coisa do tipo, mais é monótono e se torna cansativo ao longo da música. Mais de 70% da música é quase toda canta pela Simone, faltou à participação do Mark. Ela me lembra um pouco a música “The Divine Conspiracy”. Eu gosto das rimas do refrão: “…We will not find, If we don't seek, We will not know, If we don't peek…” é legal de cantar..rsrsrs.

Faixa Bônus: Banish Your Illusion
O “The Quantum Enigma” tem várias versões e em cada uma delas tem um faixa bônus diferente. De todas, eu gosta mais das “Mirage Of Verity” e “Banish Your Illusion”, mais a minha favorita mesmo é “Banish Your Illusion” e vou falar dela agora. Ela tem um jeito das músicas mais antigas do Epica. Ela é composta por sons orientais nos intervalos dos vocais da Simone, o coral faz uma é estupendo em todas as suas partes. Destaque para as guitarras próximo aos 3min40, seguido dos vocais maravilhoso de Mark precedido pelo empolgante refrão e a música termina da mesma forma que começou. “Will you banish your illusion now?”

E esse é o meu singelo review. Tentei passar a vocês a MINHA opinião sobre esse maravilhoso álbum. Aconselho-os a ouvir e depois me digam o que acharam! Pois cada um tem sua perspectiva do álbum. Espero que não me odeiem e nem que me amem por causa do que escrevi isso é apenas a opinião de uma singela fã do Epica. \m/

Through Lucy Eyes

Template por Butlariz Modificado por Lusy Oliveira