29 de setembro de 2013

Epica - Requiem For The Indifferent Brazilian Tour

Há um ano, eu estava eufórica e caminho do meu primeiro show do Epica. Imagina como eu estava ansiosa para chega ao show! O show ocorreu na Fundição Progresso como parte da “Requeim for The Indifferent World Tour” houve um atrasado de meia hora para iniciarmos a viajem, que me deu um frio na barriga, mais no fim ocorreu tudo bem. Saímos por volta das 16h30 e fomos curtindo a viajem a som de Dream Theater e chegamos lá por volta das 20h30. Assim que chegamos fomos pra fila para pegar o ingresso que tinha compra via internet, achei que seria uma longa espera na fila, mais até que foi bem rápido. Decidimos entrar logo em seguida, pensando em pegar um lugarzinho lá na frente, mais era tarde demais. Acho que todos resolveram compra a pista premium, pois esta, estava mais cheia do que a pista normal, mal dava para se mexer. 



Esperamos cerca de 30 min quando começou a tocar a intro “karma”, foi a “Karma” mais longa da minha vida (KKKK). E logo senti como era ruim ser baixinha! Não tive uma visão muito privilegiada durante todo o show, altas montanhas me cercavam o tempo todo, se é que me entende! (rsrsrr). Único que consegui ver perfeita mente do tempo todo era o Coen, ás vezes o Mark, quando ele estava no lado esquerdo do palco, enquanto a Simone, praticamente  não vi (kkk). Á musica pela qual eu mais esperava era “The Obessessive Devotion”, é uma das músicas que mais gosto, e era um sonho estar presente e ouvir essa música ao vivo.



Então logo senti com o fim chegara quando começou a batalha de Coen vs Arien de “Consign to Oblivion”. Achei que passou muito rápido, parecia que tinha tocado apenas 3 músicas. Eram 23h11 e já estávamos do lado de fora e show tinha terminado. Só me arrependi de não ter comprados às canecas, que estavam vendo vendidas pela internet. Foi um dia mágico e especial, curti muito, pulei, gritei e cantei uma experiência magnifica que nunca vou me esquecer
Mais Fotos!

Through Lucy Eyes

Template por Butlariz Modificado por Lusy Oliveira